domingo, 11 de janeiro de 2009

Luzes da luz

Uma vontade antiga é a de refletir um pouco sobre as letras das músicas de Tim e Vanessa, pra mim a principal fonte de música, a que mais me alimenta.

Então seguem aí umas reflexões, verso a verso, de Luzes da Luz. E Tim e Gladston que me perdoem...

(Pra quem quiser ver ou baixar a música e sua letra é só clicar no link a seguir e procurá-la em meio à discografia de Tim e Vanessa: http://www.timevanessa.com.br/site/discografia.htm)

Luzes da Luz

1.Um frêmito da Grande Luz – e luzes jorraram em profusão.
Numa simples agitação da Divindade, na eclosão criadora do Todo que compõe e governa o respiro Universal, jorram, do Deus Poderoso de amor, justiça e bondade, as luzes perfectíveis e tenras que se lançam à tarefa do existir e crescer, por e para misericórdia do Pai, aperfeiçoando a si mesmas.

2.Houve tempo na eternidade; espaço na imensidão.
No propósito de alimentar as recém-natas luzes, permite o Criador o estabelecimento de formas e sensações perecíveis e palpáveis que auxiliem na compreensão da divindade e na percepção de si mesmas, surgindo o espaço-tempo como o marco possível e viabilizador das primeiras aquisições evolutivas.

3.Sustentar a vibração Divina tornou-se o nosso afã.
As luzes, na consciência de que estão no caminho de crescimento e burilamento do espírito, compreendem que uma única e maravilhosa trilha deve ser perseguida, como meta inexorável e duradoura da existência: o caminho da subida pautada nos atributos universais de Deus, que permite assumir a sublime função de cooperadores da Escola Universal.

4.Surgiu a bipolaridade, agora há homem e há mulher.
Como princípio educativo que ensina por meio de diferença, comparação e divisão das responsabilidades, oferta-nos Deus mecanismo sublime para o alcance das metas evolutivas: o das polarizações universais, marcado, sobremaneira, pela capacidade de complementação homem-mulher.

5.Presença, ausência; luz, não-luz; calor, frio; ato, inação.
E no prosseguimento dos matizes conscienciais que permitem aos espíritos a percepção de si mesmos e do Universo que ao mesmo tempo os cerca e permeia, surgem outras sensações que auxiliam no primário desenvolvimento das verdadeiras faculdades espirituais.

6.Dorme mineral, desperta vegetal, segue instintos o animal.
Na madura perfeição do Concerto Universal, coloca a Divindade, nas diferentes formas de estabelecimento do princípio inteligente, o gradiente de adaptação e crescimento da consciência que desperta e se aprimora.

7.O homem se ergue na figura de Adão. Ama, e a aprende a ser o rei da Criação.
Para as luzes cujas histórias se fazem ligadas a certa etapa do governo do Cristo Jesus na Terra, Adão representa, emblematicamente, o início da faina daqueles que já se estabelecem na forma superior às demais criaturas do orbe, como homens, porque já dispõem da possibilidade de exercer o amor, ainda que em imperfeitas formas.

8.Queremos voltar a Ti, oh, Pai! As luzes querem: anseiam a "Mãe-Luz".
E é a divina faculdade do amor que faz com que as luzes possam compreender e almejar a enorme e maravilhosa realidade universal de voltar à Grande Fonte, ao Pai amado, eterno e perfeito; porque as luzes já sabem e querem: pretendem crescer, tornando-se "Mães-Luzes".

9.Luzes perdidas asserenai! Eis o roteiro: segue Jesus.
Assim, para as luzes que ainda lutam contra o princípio do amor, contra a própria centelha Divina que palpita nelas mesmas, a recomendação é imperativa, não obstante serena: necessário é tranqüilizarem-se e perceberem que ódio e oposição a Deus não passam de formas mais lentas e duras de amá-lo plenamente e a se compreender parte dEle mesmo, sintetizando-se a forma mais simples de alcançá-lo numa só instrução: seguir Jesus.

10.Ah, luz da Luz! Ah, Luz das luzes! Luzes da Luz: Segue Jesus!
Alcancemos todos, portanto, a iluminação com Deus! Nós, luzes criadas pela misericórdia d’Aquela Grande Luz, queremos amá-la e a ela voltar, com a prosperidade de nossos espíritos! Ela, com a bondade, a justiça e o amor que a caracterizam, deseja nos receber aperfeiçoados de volta em seu seio, glorificando a perfeição do Pai de amor.

Por isso e para isso, filhos de Deus, – ou luzes da Luz – sigamos Jesus. Eis o roteiro.

8 comentários:

Vanêssa disse...

Gostei muito da análise, amigo.
É praticamente um estudo!
Super beijo
Vanêssa

cienciaenatureza disse...

Sempre gostei das músicas de tim e Vanessa, são muito especiais na minha vida... E você fez algo incrível com essa análise! Parabéns!

Mari disse...

Adoro essa música!!!
Ela quase foi pro seminário de arte espírita!
Se dependesse só de mim, teria ido!
Linda, encantadora, maravilhosa!

Érica disse...

...e assim percebemos como é rica a música, grande instrumento de transmissão de contenhecimento, emoção e estímulo de renovação!

Obrigada pelas reflexões, que nos ajudam a melhor entender e valorizar a música espírita!

Grande abraço.

Denis disse...

Prezada Érica,

Obrigado pelas carinhosas palavras e pela visita. As músicas do Tim e da Vanessa geralmente têm uma profundidade que permitem que a gente vá fundo nessas reflexões.

Volte sempre ao nosso blog!

Abraço,


Denis

Cris Garcia disse...

Amigo Denis,

Que bela reflexão sobre as serenas e profundas palavras de Gladston e Tim em Luzes da Luz.
Esta é uma de muitas de Tim e Vanessa que me levam a refletir, que sutilmente me faz ver a transformação... todas as etapas atingir num curto período.
Somos pedacinhos de luz rumo ao descobrimento de nós mesmos, guiados sempre pelo amor que Jesus veio nos ensinar.
E ainda resistentes, sabemos que algo há a nos modificar, algo que nos sensibiliza e é muito além de tudo o que podemos imaginar hoje, mas está em nós, é a centelha divina, a luz escondida por nós que quer brilhar.
Trabalhemos todos para o esclarecimento e clarear de todos.
Jesus, nosso Meigo Amigo, é sempre por nós, está sempre conosco.

Paz e Bem em seu coração!

Forte abraço!

Cris.

Denis Soares disse...

Ei, Cris!

Que bom que tanto tempo depois da postagem ela ainda esta sendo lida. É isso mesmo. São muitas etapas nessa caminhada e ver as mesmas escritas assim com tanta poesia é algo alentador.

O melhor de tudo é a gente saber que conta com esse sentimento de amor vibrando por nós...

Amigos, abraços a todos!

Cris Garcia disse...

Pois sim Denis, há muitas outras postagens que gostei e ainda, no tempo oportuno gostaria de comentar, ainda que distante da data de hoje, são mensagens que me levaram a reflexão e me interessam de maneira particular... seja no campo da música, minha doce inspiração de muitas horas, e tantas outras...
As palavras me fazem companhia, e gosto sempre que possível compartilhar dessas emoções.
Sem me estender muito, acrescento que a música além de ouvida deveria ser analisada, assim como o fizeste na letra em questão, afinal pensamento é força viva e se ouvimos logo pensamos e produzimos sentimos variados... Atingindo quem nos rodeia...
Se buscamos a reforma em nossa conduta, poderíamos iniciar através daquilo que ouvimos, selecionando o que permanecerá em nós.
Reafirmo aqui minha emoção e alegria ante suas canções e todo o leque em que a arte espírita nos toca.
Um abraço meu caro amigo!
Cris.