terça-feira, 19 de maio de 2009

Gato fluídico

Retirado de uma entrevista concedida por Luciano dos Anjos a um site. Vale à pena rir também:

Quais as novidades? Há algum livro novo em perspectiva?
Sobre o movimento espírita (que prossegue com maiúsculas...), às vezes rio, às vezes choro. Por exemplo: num centro aqui do Rio, bem freqüentado e rotulado de kardecista, existe agora um gato fluídico, que permanece na coleira, junto à mesa, enquanto os oradores falam. O médium da casa explicou – e o presidente endossou – que o bichano tem a faculdade de absorver os fluidos negativos do ambiente. Já sugeri, considerando que estamos em temporada febril de hinos espíritas, a elaboração de mais um: Atirei o Pau no Gato. E também que sejam compradas mais duas coleiras, uma para o médium e outra para o presidente, a fim de que não andem soltos por aí.

Essa novidade faz rir. Mas para chorar conto que caminhamos destrambelhados para a total igrejificação. As consciências se deixam dominar com incrível facilidade e as cúpulas (que adoram mandar e dar ordens) fazem o que bem querem. Ninguém pergunta, ninguém contesta, ninguém reage. Os espíritas estão acoelhados e acham que vai tudo muito bem e que, embora seguindo os passos da igreja católica, esse é o caminho. Não percebem que tomaram um atalho cujo fim é o abismo.

6 comentários:

Carolzinha SP/BH disse...

Nossa, essa foi demais.. Nesse caso eu estou bem, em casa tenho 12 gatos... Dessa forma nem preciso ir mais tomar meus costumeiros passes... hahahahahahaha... Fala sério...
Bjs, Carol Volpe

Mari disse...

Acho que se eu desse de cara com um gato amarrado lá no Grupo Scheilla, no mínimo, eu iria ficar a palestra toda brincando com o bichano e deixaria o palestrante de lado!
Por um lado esse fato é bizarro mas por outro, até que não assusta muito.
Tem mais é uma questão cultural envolvendo isso tudo. Os brasileiros são muito supersticiosos e não precisa ter religião para acreditar que o gato retira as energias negativas do ambiente, basta ser brasileiro! rs

............... disse...

Realmente é sério o problema da "igrejificação" dos centros espíritas, bem como a transformação da Doutrina Espírita em "Religião": "Religião Espírita", "Religião Kardecista", e por ai vai. Tem-se precebido um culto ao personalismo, a existência de hierarquia de poder (inclusive material) dentro das casas Espíritas e um verdadeiro monopólio (Sob o discurso da "unificação") sobre o que se "pode" ou não "pode" dizer dentro do centro! O Aspecto científico da Doutrina tem sido deixado totalmente de lado em detrimento da interpretação encarnacionista-fixa-religiosa do texto bíblico. Tem-se cultuado com Deuses os "médiuns", escritores, e "famosos" na Doutrina, como Chico Xavier (Claro que Chico teve sua importância), se esquecendo de os "grandes no reino do céus" negam a si mesmos em favor de Deus e de Cristo!

Denis disse...

Pois é, pessoal. E eu, graças ao comentário do último amigo que não se identificou, percebi que de repente há até um certo preconceito meu ao apontar o aparente equívoco da idéia do gato, pois se tem uma coisa que não se pode nunca abrir mão é a absoluta certeza de que ninguém pode se arvorar em sábio que define o que é certo ou errado, o que se pode e o que não se pode fazer etc.

Efetivamente, vale anotar que a idéia de um gato fluídico nos moldes mencionados parece incompatível com os ensinamentos doutrinários que aprendemos com Kardec, mas tudo é passível de discussão, pois nem instituições e nem pessoas que se entendem mais abalizadas em determinado assunto, apesar de poderem contribuir, podem dar uma resposta definitiva a o que quer que seja.

Essa idéia de seres abnegados e cujos nomes estão escritos num livro do céu é absolutamente incompatível com a concepção meritocrática que o Espiritismo demonstra possuir o mundo, sem que, contudo, deixemos de poder colaborar sempre uns com os outros, inclusive comentando que essa idéia de um gato fluídico parece muito questionável.

Abraços e obrigado a todos pelos comentários.

As Loucuras de Cada Um disse...

Marcel Mariano conta cada absurdo que vê e presencia nas casas espíritas do país inteiro. A do gato foi engraçada.
:)

Abraços

Denis, adoro suas músicas.

Neli
Porto Velho/RO

Denis disse...

Neli, obrigado pela atenção e pela visita. Realmente acontece muita coisa estranha por aí...

Fiquei feliz em saber que as músicas chegaram aí em Rondônia, muito legal.

Fraternalmente,

Denis