terça-feira, 11 de maio de 2010

A música "Reencontro" e o Jônatas

Prezados amigos,

Esses dias o Ito, de Brasília, me pediu pra contar a história da música Reencontro. Foi tão legal e emocionante rememorar isso, que resolvi postar aqui uma adaptação desse relato. Ei-lo.

Eu frequentava a Mocidade Espírita Maria Alice, em Belo Horizonte. Um dos grandes amigos que eu tinha por lá era o Jônatas, com quem eu vim a fazer algumas músicas em parceria.

Era 1998. A gente já tinha tentado fazer uma ou outra música, alguns meses antes, mas não tinha dado muito certo. Eu não sentia muita confiança, mas o Jônatas gostava de escrever uns versos e às vezes me passava.

Esse grupo espírita que a gente frequentava era - e ainda é - no andar de baixo da minha casa, porque foi fundado pelo meu avô e nós (eu, meus pais e irmãs) morávamos no sobrado, no andar de cima, onde minha mãe mora até hoje.

Por causa dessa "peculiaridade geográfica", o Jônatas tinha o hábito de às vezes chegar pra mocidade mais cedo, pois saía direto do trabalho e passava na minha casa, quando preparávamos coisas da mocidade, conversávamos etc. A mocidade era - e também ainda é! - toda sexta-feira, 20h. Naquele dia em que acabamos compondo Reencontro, ele chegou na minha casa por volta das 19h, com a letra da música escrita num papel, exceto a última estrofe. E me pediu pra musicar.


Eu disse a ele que não daria tempo de tentar fazer uma música naquele momento, pois daí a pouco tínhamos que descer pra mocidade. Disse também que a inpsiração não tem encomenda e que ele deixasse a letra que eu pensaria depois.

Mas não adiantou eu relutar. Ele, muito insistente (como sempre), disse que não aceitava, e falou que ou eu musicava naquela hora, ou não me deixaria ir pra mocidade, bem como não iria também. Ou seja, a coisa foi na força mesmo!

Nessa fraternal pressão... eu peguei o violão e já saiu a música tal como ficou, imediatamente. Depois vimos que faltava alguma coisa e a última estrofe foi elaborada. Mas isso já foi na preparação pra X Comemofra, pois a música Reencontro foi pra pasta de músicas desse encontro de jovens, onde foi bastante cantada.

Lembro-me bem, aliás, da atividade de encerramento da X Comemofra, em que foi feito um "caracol" no gramado, ao som de Reencontro, e foi muito marcante e emocionante. Alguém aí esteve por lá e lembra desse fato?

A composição da música foi mais ou menos pelo final de 1998, e a Comemofra no começo de 1999. Eu tinha de 17 para 18 anos. O Jônatas devia ter uns 26 ou 27. Ele faleceu em 2003 e, agora, espero que esteja nos inspirando do lado de lá. Ou pentelhando mesmo, que era algo que ele fazia e bem, hehehe...

Depois o Jônatas me contou a inspiração dele pra fazer a letra. Ele disse que um dia (ou uns dias) antes ele estava literalmente começando a dormir, na casa dele, quando viu um amigo, antigo frequentador dessa mesma mocidade, entrar pelo quarto dele voando, como se estivesse em desdobramento. Esse amigo estava morando no interior já havia algum tempo, eles estavam sem contato. E o Jônatas escreveu os versos de Reencontro pra falar da saudade, da amizade e que não haveria fronteiras pra unir quem se liga por um sentimento sincero.

No cd Viajante do Universo, quem canta essa música comigo é a Thalita, companheira de mocidade que viveu todos aqueles anos conosco. E no trompete a participação especial é do Paulinho Trompete, frequentador do Grupo Irma Ló.

A propósito do falecimento do Jônatas, eu compus em 2005 a música "Como é bom estar contigo" em homenagem a ele. Essa música também está no cd Viajante do Universo. E não foi bem uma composição. Num dia que dormi de tarde, meio fora de hora, por causa de alteração no horário do trabalho, acordei com a nítida lembrança de estar cantando o refrão dessa música junto a outras pessoas no plano espiritual, para o Jônatas, que não estava presente. O refrão desse sonho é, sem tirar nem por, o refrão de "Como é bom estar contigo":

Penso em você
Em como é bom estar contigo
Sinto o por quê
Tanta alegria em ser seu amigo!


Bem, é isso. Trata-se uma lembrança prazerosa, e antiga o suficiente pra me fazer compreender que estou ficando velho...

Abraços a todos.

18 comentários:

Tonho disse...

Me arrepiou pra caramba!

Cantamos essa música na mocidade desde a X comemofra (eu nem frequentava o encontro ainda) e nunca havia imaginado o significado dela literal. Muito bacana isso, muito interessante e emocionante!

:)

Thaís disse...

Hahahahaha!! Ficando velho todos estamos e até desencarnarmos vai ser assim, viu?
O Jonatas era um persistente mesmo e ainda bem que foi assim. Lembro dele me falando um dia no ano de 2000, que era "uma vergonha" o fato do Denis já ter tantas composições queridas pelas pessoas e ainda não tê-las gravadas em um cd... se não estou enganada, foi a partir daí também que a idéia para o primeiro cd Viajante do Universo foi concebida, é isso mesmo, Denis?
Um grande abraço!

Shanda disse...

Nossa, que história bacana...sabe que quando eu comecei a frequentar a Mocidade, a primeira música que o pessoal cantou na reunião, aquele dia foi Reencontro. Marcou muito!!!
Musicas especiais sempre tem histórias especiais, conte mais!!

Nadia Moya disse...

ai q lindo!
Fique emocionada!!
Acho lindo isso dos laços eternos da amizade e da fraternidade sem fronteiras!
Abração Denis!

Sader Chambela disse...

Grande Denis!

Rapaz... é mesmo de emocionar, ainda mais que temos aqui uma situação semelhante.
Fomos também distanciados fisicamente pelo desencarne de um querido irmão, tão querido que para mim era (e será) mesmo um "irmão"... companheiro de mais de 7 anos de músicas no Grupo Carinho, muitas viagens e palhaçadas juntos.

É uma benção a Doutrina Espírita nos garantir um futuro reencontro com aqueles que amamos!

Sem contar as inúmeras apresentações em que sentimos a presença dele nos apoiando!

Bom... fora a gostosa lembrança do Gagá (Gladstone)... seu texto me fez refletir noutra coisa: Uns amigos partem momentaneamente, mas Deus é tão misericordioso, que pertite que novos amigos cheguem. Não melhores ou piores, muito menos substituindo os que regressaram... mas aumentando essa família de amigos-irmãos... dando novas cores às nossas experiências.

Enquanto nossos corações estiverem ligados por esse amor que não se esquece, novamente nos reencontraremos.

Abraço irmão!
Sader

Rivail Mattos disse...

A primeira Comemofra ninguém esquece... Como eu poderia esquecer da X Comemofra? Foi munha primeira vez na Cifrater.

Roberto disse...

hehehe minha primeira comemofra foi de 2009 nuka vou eskecer nussa foi muitoooo muitooo importante na minha vida uma coisa muito especial msm pra mim é a comemofra.
e amei a musica GOSTO DE VOCÊ de 2009 nussa seuper hiper mara ....
na despedida no acampamento com a marina declarando pra gente e depois cantando GOSTO DE VOCÊ nossa ai vi q foi uns dos momentos mais importante da minha vida começei a chorar nem pensava mais de sair da cifrater ...... melhor cidade Cifrateeeeerr amoo............


o Dênis agora sua musica markou muito hein reencontro todos encontros q vou eu sempro toco ela rsrsrs foi a musica mais linda q vc compôs todos encontros eu reencontro meus amigos minhas amizades etc.... sempre eu to tocando ela hehehe Dênis abraços...

obs...
vai em Campo Grande-MS na pós oks q vai ter .... rsrs

Cris Souza disse...

Eh, companheiro Denis...
Todos estamos ficando velhos!! rs..
Mas espero que essa velhice seja somente física, já que nosso espírito se manterá jovem ainda por um bom tempo...!

Legal demais vc ter compartilhado esta história. Conhecia um resumo dela, mas não a tão detalhada.

Tb pude conviver por um bom tempo como nosso amigo Jonata, a ponto de saber o tanto que ele amava a juventude e a música.

Até a pouco tempo, ainda haviam restado alguns cadernos com diversas poesias dele, vc lembra disso? Acredito que ele tenha deixado ainda mto material pra vc trabalhar... heheh...

No nosso ano de comissão de música da comemofra, levamos a música que vc fez em homenagem a ele e ela foi cantada, ao redor da cagaiteira, onde diversos amigos já desencarnados, trabalhadores do mofra, estavam presentes, inclusive o proprio Jonata.

Bom relembrar. Bom poder voltar no tempo, toda vez que ouvimos ou cantamos essas canções...
Reencontro então? Nossa! Mtas recordações...

Valeu amigo!
Parabéns pelo blog e saudades de vc!!
Bjus

Anadir disse...

Essa foi a primeira música do Mofra q eu aprendi! E até hoje é uma das minhas favoritas! Saudades das músicas e de todos os amigos q fiz no Movimento!!!
Beijo pra todos

Marco disse...

Bá Denis, ótimo post. Legal saber como surgiu esta música.
Abraço!

Denis Soares disse...

Olá, prezados.

Obrigado pelos comentários. É muito bom ver que essa música remete a boas lembranças pra algumas pessoas, tanto quanto pra mim.

Fiz mais um post pra continuar esa história. É isso aí.

Abraços!

Ana paula do Jô disse...

quanta saudades amigos , foi muito bom rever esses depoimentos eu e Bárbara estamos saudosas desses momentos, as vezes peço á Deus para que posso voltar no tempo para reviver esses momentos de tanta felicidade , em minha existencia, Tenho tanta saudades daquele que foi o meu grande companheiro e amigo nessa vida . (emocionada...)

Bruno Nigri disse...

A saudade do Jonata é uma saudade doída, mas gostosa. Uma mistura paradoxal de tristeza pela ausência física e alegria pelo que foi vivido, nostalgia de um período mágico e único de nossas vidas. O coração até apertou agora.

ITO disse...

@migos,

Como estão vendo, conheço o Denis há pouquíssimo tempo e, através de seu relato, originalmente por e-mail, conheci o Jônatas.
Não sei se é mera coincidência mas o fato da proximidade do niver dele deixou a todos do InArtE de boca aberta... E felizes.
Jônatas, apesar de já ter passado o dia, sinta nossa alegria e carinho por "estar conosco" no próximo sábado, quando cantaremos "Reencontro", parte de nossa primeira apresentação oficial do InArtE, desde quando o grupo foi, oficialmente, criado. Encerraremos a palestra pública do Maycom Leal, parceiro de estrada nos diversos encontros/eventos de juventude daqui do DF.
Denis, não vou falar aqui - vou deixar como suspense (rrrsss...) - mas, novamente, muito obrigado pela alegria proporcionada à Camila. Ela, ainda, agora à noite, estava meio que zonza com a surpresa.
Que Papai-do-Céu Nos permita participar cada vez mais de suas produções.
Muito obrigado, meeesssmmooo!!! Não vou cansar de agradecer...
Forte abraço a todos.
Paz a Luz.
Ito

Anônimo disse...

Oi Denis!!!
Que bela história sobre a música e o Jônata! Muito emocionante! Parabéns!

Bjo no coração!
Bel.

Francisco (musicaespirita) disse...

Caro amigo Denis.
Não poderia deixar de postar aqui o meu comentário.
Te conheço há bem pouco tempo do musica espírita mas gostaria de ter te conhecido há muito mais tempo.
A gente fica lendo os relatos e se imaginando participar da mocidade, cantando as músicas, participando dessa alegria toda.
Mas estamos aqui, recolhendo todos os dividendos dessa bela história, que já faz parte dos anais da história da música espírita brasileira.

Aproveito a oportunidade para convidar a todos para participarem do nosso grupo "musica espirita"
Entrem lá!
O endereço é: http://groups.google.com.br/group/musica_espirita. Ou entrem nos grupos do google e coloquem musica_espirita.
Abraços
Francisco

Juliana disse...

Estava no caracol (foi minha 1ª Comemofra) e também no carro, voltando de Três Rios com vocês, quando Jônatas falava de criar o cd! Saudades desses momentos...

Precisamos desenvolver as asas pra voar mais longe! A mente já voa longe e traz boas lembranças!

Denis Soares disse...

Ju, é mesmo! Vc estava no carro e testemunhou tudo, hehehe...

Bom, acho que meses antes dessa ocasião nós fizemos, em parceria, a música Despertar, não foi? Tanto que ela já entrou nesse cdzinho, logo em seguida.

De resto... acho que todos que estavam naquele caracol devem estar literalmente enrolados com alguma coisa que ainda precisamos descobrir o que é, não é mesmo? Hehehehe...

Bjo e obrigado pela visita!