sábado, 25 de setembro de 2010

Mais sobre o filme "Nosso Lar"

Olá, prezados.

Ainda sobre o filme Nosso Lar, reproduzo a seguir os apontamentos de um amigo muito querido que recebi por e-mail. Trata-se de Gilberto Vieira, mineiro radicado no Acre, médico homeopata e entusiasta da Fraternidade.

Minha sintonia com as ideias dele não é nada rara, e sempre me sirvo dos apontamentos por ele produzidos, estejam já publicados ou não. Dificlmente saio de casa, quando vou fazer algum estudo, sem ler algo que ele tenha escrito. Por isso, achei relevante dividir essa reflexão aqui nesse espaço.

A seguir.

-----------------------------------
"Atravessamos um período de extraordinária divulgação relacionada ao espiritismo, destacando-se os filmes sobre Chico Xavier e sua obra Nosso Lar, e a consequente repercussão na mídia.

Conquanto propagar da doutrina espírita por todos os meios possíveis seja um dever que compete a todos nós, é justo ponderar sobre alguns riscos inerentes ao fenômeno.

A história nos ensina que a difusão do cristianismo, vencendo obstáculos e perseguições tremendas, alcançou contornos geográficos impressionantes.

De culto vil ergueu-se a religião oficial do Império Romano, e transmitiu forças ao Vaticano que o fazem sobreviver como único remanescente daquele fastigioso poder. Entretanto, sua consolidação no mundo custou-lhe a perda das virtudes peregrinas que lhe constituem a essência.

O Evangelho pregado nas mais diferentes latitudes contém mutilações e distorções que quase impedem de se ver a luz verdadeira que dele emana.

Visitando os museus e igrejas, particularmente na Europa, constata-se que a Arte afeiçoou-se à narrativa evangélica no decorrer dos séculos, legando-nos quadros e esculturas de beleza incomum.

Embora o sonho de Alan Kardec fosse a comprovação dos postulados espíritas através da ciência, vive-se nos dias atuais o assenhoreamento deles pela arte cinematográfica, dando-lhe um colorido especial e próprio. Muitas pessoas julgarão se trata de mera ficção, mais uma dentre tantas veiculadas frequentemente.

Ainda assim, haveremos de aplaudir e louvar a iniciativa daqueles que se dispõem a tratar dos temas doutrinários, desejando-lhes sucesso na empreitada.

Aqui e ali surgem críticas e zombarias, que fazem parte do processo natural de resistência ao novo, e que o tempo deve dirimir com maiores revelações e descobertas.

Contudo, da mesma forma que expansão do cristianismo implicou de modo obrigatório na ofuscação de sua verdade espiritual, transformando-o em instrumento de poder mundano, a irradiação do espiritismo trará inevitáveis sobressaltos e lacerações ao seu próprio conteúdo.

De acordo com os relatos de Chico Xavier, a conversão de qualquer pessoa ao bem e à realidade do espírito exige experiências significativas nos domínios do coração e da consciência.

Portanto, se os filmes e os vídeos possibilitam a divulgação da doutrina em larga escala junto à população, cabe recordar que eles representam somente instrumentos de divulgação.

O trabalho capaz de sensibilizar o próximo e atraí-lo, de fato, para a doutrina espírita e para o Cristo requer de nós mais do que o entusiasmo febril com a influência dos meios de comunicação. Sem que ofereçamos algo de nós mesmos, por meio de nossas mãos e de nossa renúncia pessoal – quase sempre regada a lágrimas e suor – não chegaremos ao testemunho cristão nem nos tornaremos colaboradores confiáveis da implantação do reino dos céus na terra.

Enfim, saudemos a difusão do espiritismo, sem esquecer o recolhimento e o silêncio, igualmente indispensáveis para ouvir Deus em nós e ao nosso redor.

Abraços

Gilberto"

3 comentários:

Sader Chambela disse...

Grande amigo Denis!!!

Rapaz... concordo plenamente com nosso irmão Gilberto.

Não só acredito nos benefícios diretos que os filmes produzem em divulgar a Doutrina Espírita, como também acredito que existam muitos outros benefícios que não conseguimos vislumbrar de imediato.

Porém, exatamente como ele disse, de nossa parte cabe o exemplo acertado, o esforço de melhoramento íntimo para que sejamos, cada um a seu modo, divulgadores do Espiritismo, dos valores superiores.

Vamos nos esforçando!!!

Abraço forte!!
Sader

Roney - florear disse...

Com um final destes do texto, não tenho nada a acrescentar.

É bom saber que novos tempos estão chegando, e estamos vendo o nascer deste amanhecer.

Carol - SP disse...

Oi pessoal! Saudades de acompanhar as discussões, novidades e polêmicas aqui no blog do Viajante!

Olha, essa questão do filme "Nosso Lar" deu o que falar, hein? Eu estava bem confusa no meio das discussões, pois acho essa divulgação importante, e também o interesse do público em geral. Porém, também creio que há um certo exagero por parte de alguns espíritas entusiasmados demais, beirando algo como a "fé cega" ou o fanatismo....!

A fala do Gilberto, tão clara, objetiva e ponderada, me esclareceu bastante e pude, enfim, "organizar" os pensamentos em relaçao a isso.

Denis, bom demais ter esse espaço e poder continuar as conversas sobre assuntos diversos e engrandecedores.... Poder conversar sobre assuntos polêmicos com naturalidade e respeito é algo tão proveitoso com incomum, às vezes, não é?

Beijo, amigo!!!!!