sábado, 24 de novembro de 2012

Violões em grupo - Abrigo na Arte

Prezados amigos,

Compartilho a seguir relato e vídeo que me foram repassados pelo estimado amigo Luiz Enrique. Ele foi produtor do CD "Viajante do Universo" e diversos outros trabalhos.

Mais sobre o trabalho desenvolvido por ele em conjunto com outros companheiros no "Abrigo Jesus", em Belo Horizonte, pode ser conhecido no site http://abrigonaarte.com.br/

----------------------------
Luiz Enrique disse:



Como acredito que coisa boa e sentimento bom faz bem compartilhar:


Com felicidade, compartilho com vocês o resultado de um trabalho que venho fazendo há 8 meses, que me deixou muito feliz, e me levou a repensar sobre o aprendizado de música. Iniciei aulas de violão do Projeto Abrigo na Arte, em fase experimental. Pedi a coordenadora para entrevistar os alunos de uma turma escolhida e fazer uma lista dos que queriam fazer a aula. 1a surpresa: todos os 20 alunos da turma quiseram. Montamos duas turmas de 10 alunos simultaneamente. Inicialmente, temia pelo resultado, nunca havia dado aulas de violão para tantas pessoas juntas, a maioria deles não tinha instrumento, imaginava que alguns iriam desistir, normalmente, quando dei aulas em escolas particulares para turmas de no máximo 3 alunos, uma boa parte nao passava do 3o mês. Então, todas continuaram, nenhum saiu, os familiares, vendo o interesse, foram comprando violões, e hoje todos os alunos de uma mesma turma estão tocando um violão iniciante básico, e melhor, com noção de grupo, acompanhamento e interação.

Resolvemos fazer uma apresentação na Feira de Cultura da Escola, então eles escolheram a música " Caminhando e Cantando, do Geraldo Vandré, que aprendemos em uma aula onde aproveitei para falar do contexto histórico da música, e da importância social que a música popular teve naquele momento da hístoria brasileira. Criamos um arranjo, juntamos as duas turmas e assim surgiu a auspiciosa " Orquestra de Violões Abrigo na Arte ". O melhor de tudo, eu fiquei fã deles, eles me ensinaram tantas coisas nesse processo, e me fizeram rever outras tantas. E respeitar mais ainda a música, e a força de motivação e união que ela traz, principalmente vivenciada em clima de cooperação, união e alegria. 

E tivemos também a participação especial da coordenadora Graça Fiuza, que virou aluna também, e da funcionária Marisa, que viu a aula e pediu para entrar e realizar o que segundo ela era seu sonho desde criança. No final, uma pessoa que ficou sabendo do interesse dos alunos e que alguns ainda não tinham o violão, resolveu fazer uma " vaquinha" e compramos os 8 violões que faltavam e entregamos no penultimo ensaio antes dessa apresentação. Obrigado aos meus queridos alunos e a Deus por viver isso.
Um Abraço a todos.
 
 

3 comentários:

Roney - florear disse...

Muito legal!!!!!

Thina disse...

Luiz,

A música realmente rompe barreiras e encurta distâncias, disso sou grande prova. Parabéns pela sua iniciativa e seu trabalho com esses jovens.

Sader Chambela disse...

Rapaz... isso sim é show!!!

Abração irmão!